HOMENS ASSEDIAM AS PRÓPRIAS MÃES NAS RUAS

Responsável pela realização de uma campanha, Natalia Málaga, tem como objetivo banir o assedio verbais à mulheres no Peru, e para isso, usou a mãe de dois acusados de abuso verbal.

“Como eu tenho anseio de enfrentar esses valentões. Achei alguém que poderia fazer o “trabalho sujo” por mim, tentei de outra maneira.”, declarou a treinadora de vôlei feminino nacional no Peru, Natalia Málaga. O atleta é responsável pela realização de uma campanha, em seu país, que tem como objetivo banir o assédio sexual de rua contra as mulheres.

“Assedie sua mãe” é o nome da iniciativa original que reflete o desconforto que provoca nas mulheres o comportamento dos homens. E para deixar em evidência, os cineastas contrataram as mães de dois meninos, que anteriormente foram identificados como agressores.

Vestidas em vestidos apertados, mamães perseguidoras tinham uma missão: chegar às ruas e passou na frente de seus filhos. “Que traseiro bonito!”, diz Renzo que leva uma surpresa quando ele percebe que ela é sua mãe. Enquanto Renzo tenta explicar a sua mãe sua conduta, a treinadora, que monitorou as mulheres, deu indicações para que o comportamento de seu filho permanece em evidência. “Era verdade que eles dizer sobre o que você diz às mulheres. Já pensou como nos sentimos?”, censurou sua mãe.

O vídeo tenta combater o assédio que as mulheres muitas vezes sofrem ao andarem livremente pelas ruas, o projeto foi postado no YouTube no domingo e foi visto por quase um milhão de pessoas.

“Em Lima, sete em cada 10 mulheres sofrem assédio sexual nas ruas. Os homens que acreditam que ele é um mal menor. Vamos provar que estão errados”, diz o atleta para iniciar o vídeo. “Se você é um assediador, não espere para assediar sua mãe para começar a respeitar as mulheres”, lê-se no final.

Em Agosto, a organização sem fins lucrativos Hollabck! em conjunto com a agência “Rob Bliss Criativa” conduziu uma experiência de encontro rua assédio nas ruas de Nova York. Em colaboração com uma jovem atriz, filmado com a violência contra as mulheres escondido andando sozinha nas ruas de Nova York.

Esta campanha do Peru se junta a organização que realizou a Hollaback no mês passado, que lançou um vídeo com imagens em que o assédio das mulheres andando por Nova York parecia.

“Como eu tenho anseio de enfrentar esses valentões. Achei alguém que poderia fazer o “trabalho sujo” por mim, tentei de outra maneira.”, declarou a treinadora de vôlei feminino nacional no Peru, Natalia Málaga. O atleta é responsável pela realização no de uma campanha, em seu país, que tem como objetivo banir o assédio sexual de rua contra as mulheres.
“Assedie sua mãe” é o nome da iniciativa original que reflete o desconforto que provoca nas mulheres o comportamento dos homens. E para deixar em evidência, os cineastas contrataram as mães de dois meninos, que anteriormente foram identificados como agressores.
Vestidas em vestidos apertados, mamães perseguidoras tinham uma missão: chegar às ruas e passou na frente de seus filhos. “Que traseiro bonito!”, diz Renzo que leva uma surpresa quando ele percebe que ela é sua mãe. Enquanto Renzo tenta explicar a sua mãe sua conduta, a treinadora, que monitorou as mulheres, deu indicações para que o comportamento de seu filho permanece em evidência. “Era verdade que eles dizer sobre o que você diz às mulheres. Já pensou como nos sentimos?”, censurou sua mãe.

O vídeo tenta combater o assédio que as mulheres muitas vezes sofrem ao andarem livremente pelas ruas, o projeto foi postado no YouTube no domingo e foi visto por quase um milhão de pessoas.

“Em Lima, sete em cada 10 mulheres sofrem assédio sexual nas ruas. Os homens que acreditam que ele é um mal menor. Vamos provar que estão errados”, diz o atleta para iniciar o vídeo. “Se você é um assediador, não espere para assediar sua mãe para começar a respeitar as mulheres”, lê-se no final.
Em Agosto, a organização sem fins lucrativos Hollabck! em conjunto com a agência “Rob Bliss Criativa” conduziu uma experiência de encontro rua assédio nas ruas de Nova York. Em colaboração com uma jovem atriz, filmado com a violência contra as mulheres escondido andando sozinha nas ruas de Nova York.

Esta campanha do Peru se junta a organização que realizou a Hollaback no mês passado, que lançou um vídeo com imagens em que o assédio das mulheres andando por Nova York parecia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *